60ª Reunião Anual da SBPC




G. Ciências Humanas - 5. História - 4. História e Filosofia da Ciência

DISCURSOS SOBRE A NATUREZA BRASILEIRA NO XIX: A CIÊNCIA NATURALISTA DE VARNHAGEN

KELLY CARVALHO1

1. UNICAMP


INTRODUÇÃO:
Contrapondo-se as teses herdeiras da literatura iluminista postuladas por Buffon, Francisco Adolfo de Varnhagen, visconde de Porto-Seguro, na obra História Geral do Brasil estabelece a tese de que a natureza do Brasil, o mundo físico, não era inferior á natureza européia ou africana, mas sim diferente. Esta apresentação teve por objetivo estabelecer argumentos em defesa do desenvolvimento civilizacional na América, especificamente do Brasil, inviável no discurso Iluminista. Varnhagen estabelece o diálogo com os principais debatedores da temática, Buffon e Humboldt, conduzindo o leitor neste capítulo de transição da leitura filosófica para a interpretação cientítica da natureza americana.

METODOLOGIA:
As referências discursivas sobre a natureza do Brasil estiveram ligadas á tradição inaugurada pelo filósofo-naturalista francês Georges-Louis Leclerc (1707-1788) mais conhecido como conde de Buffon, que, em meados do século XVIII, estabeleceu a teoria da inferioridade e degeneração da natureza americana nas páginas da sua História Natural (L’Historie Naturelle), publicada entre os anos de 1749 e 1788. As críticas do naturalista Alexander Von Humboldt (1769-1859) sobre este discurso da filosofia natural foram impressas, principalmente, nas obras Exame crítico da história e geografia do novo continente e Kosmos, 1814-1834 e 1845-1862, respectivamente, estabelecendo um novo parâmetro interpretativo e discursivo sobre a natureza americana, cuja análise reprovava “(...) o jogo vazio de buscar contrastes entre os dois hemisférios (...)”, que na interpretação do autor deviam ser complementares. A natureza do Brasil ficou a deriva deste debate entre Buffon e Humboldt porque o naturalista prussiano fora impedido de entrar no território brasileiro durante sua expedição cientifica pelo continente americano entre os anos de 1799 e 1804. Varnhagen, grande admirador de Humboldt e por ele fortemente inspirado, introduz o Brasil neste debate ao dedicar-se a temática da natureza.

RESULTADOS:
Esta apresentação consiste em expor os argumentos apresentados por Varnhagen, a teoria naturalista que defende como científica para o Brasil e, o diálogo do autor com Buffon e Humboldt.

CONCLUSÕES:
Varnhagen ao escreve a "História Geral do Brasil" pretendia, também, defender a tese da viabilidade do projeto civilizacional no Brasil, que nas teorias correntes ä sua época divulgavam que a natureza americana, e consequentemente, brasileira não proporcionavam tal desenvolvimento.



Palavras-chave:  Buffon, Humboldt, Varnhagen

E-mail para contato: carvalho.kelly@terra.com.br