63ª Reunião Anual da SBPC
G. Ciências Humanas - 7. Educação - 15. Formação de Professores (Inicial e Contínua)
USO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS NO ENSINO MÉDIO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS
MARIA ROSENEIDE FURTADO OLIVEIRA 1
1. Secretaria da Educação do Ceará - SEDUC
INTRODUÇÃO:
A constituição efetiva de uma escola com qualidade baseia-se nos dias atuais em também aliar tecnologia e informação, pois a escola se fundamenta em um lugar em que os alunos devem aprender a razão crítica para poderem atribuir significados ás mensagens e informações recebidas pelas novas tecnologias de ensino, como forma de intervenção educativa. Diante do conhecimento de práticas pedagógicas arcaicas e de um percentual ainda alto de rejeição por parte dos educadores em relação ao uso das Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs, vemos a necessidade de trabalhar projetos de formação voltados para melhoria das metodologias utilizadas pelos educadores em sala de aula, com uma meta de ampliar significamente o uso das TICs, nas escolas estaduais de abrangência da 9ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação - CREDE, já que este aparato ainda sofre uma série de rejeições por grande parcela da classe docente. O projeto de formação objetivou a melhoria na aprendizagem dos alunos, através da sensibilização dos educadores do ensino médio, da necessidade de incorporar as suas práticas pedagógicas às novas tecnologias de informação, do incentivo a pesquisa, a criatividade e produção para as práticas pedagógicas nas diversas disciplinas.
METODOLOGIA:
Dentro de um contexto contemporâneo de anseios por renovações na educação, sobretudo as metodológicas, recursos da tecnologia da informação, percebe-se que há uma incorporação destas como formas de mediação pedagógica. Dessa forma, a adoção de novas práticas de ensino podem contribuir para o processo de ensino e de aprendizagem atualmente, pois vivemos em um mundo cercado de tecnologias e percebemos a falta de interesse de alguns educadores em querer inovar suas aulas.
Desse modo, a estruturação prática deste projeto de formação traz uma proposta capaz de auxiliar os educadores das escolas estaduais em suas aulas, deixando-as mais atrativas e eficazes no processo de ensino e de aprendizagem. O trabalho configurou-se em formações através de encontros e palestras com profissionais especializados em metodologias diferenciadas em Tecnologias de Informação e Comunicação - TICs, na 9ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação - CREDE, culminando em momentos de socialização e discussão das experiências práticas com os Professores Coordenadores de Área - PCAs das diferentes áreas do conhecimento.
Desse modo, com o uso das TICs, o educador pode ter um grande aliado, pois sua utilização com criticidade, se tornará um pilar essencial para uma efetiva aprendizagem de qualidade.
RESULTADOS:
A cultura produzida neste mundo tecnológico e globalizado é repleta de informações. Os filmes, charges, slides, músicas, softwares e principalmente o uso do computador, representam das formas mais variadas, o espaço geográfico local e mundial e a classe discente atual está inserida neste momento de grandes avanços tecnológicos, principalmente na rapidez da comunicação e informação.
O aluno é um sujeito estimulado a todo instante pela mídia a viver esse mundo tecnológico, que entra em seu cotidiano ditando padrões e visões de mundo diferenciadas. No entanto, enquanto o mundo vive uma série de transformações e avanços tecnológicos, muitos educadores permanecem pobres em metodologias e distante dessas inovações. A proposta de formação de educadores permitiu a construção do conhecimento na sociedade da informação; Novas concepções do processo de aprendizagem colaborativa; Revisão e a atualização do novo papel do professor; Formação permanente do educador e uma maior compreensão sobre a utilização das Novas Tecnologias em Educação visando a aprendizagem dos alunos. Desse modo, a formação proporcionou uma maior interação e socialização do conhecimento entre educadores e adolescentes, através dos diversos recursos online existentes na escola.
CONCLUSÃO:
Cabe ao educador saber unir tecnologia e educação a sua prática pedagógica de forma criativa, mas totalmente inserida numa metodologia de ensino produtora de conhecimento, em que o aluno seja capaz de fazer análises críticas sobre a realidade e o que é veiculado nos meios de comunicação e principalmente não perpetuar práticas conservadoras onde o professor é o único repassador de conhecimento e os alunos meros expectadores, marcados por um ensino totalmente artificial. O aluno deve ser agente principal na busca de seu próprio conhecimento e o professor saber atuar dentro deste contexto, não mais como um mero transmissor do conhecimento, mas como mediador das discussões levantadas pelas pesquisas, descobertas e opiniões sugeridas pelos agentes ativos no processo de aprendizagem. Assim, a educação voltada para o século XXI, dentro da perspectiva da informática educacional e uso de novas tecnologias em sala de aula, deve estar inserida em um modelo inovador, em que o educador possibilita o aluno a descobrir o mundo em que vive, levando - o a ser agente ativo, capaz de realizar constantemente estudos e análises com a ajuda das novas tecnologias de informação e intervir nos problemas sociais e ambientais dentro de sua realidade.
Palavras-chave: Formação Docente, Informática Educacional, Reflexão Pedagógica.