64ª Reunião Anual da SBPC
D. Ciências da Saúde - 8. Fisioterapia e Terapia Ocupacional - 1. Fisioterapia e Terapia Ocupacional
MAPEAMENTO DA SAÚDE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA DE SUJEITOS COM HEMIPLEGIA OU HEMIPARESIA EM CEILÂNDIA-DF
Pedro Henrique Côrtes de Sousa 1
Ludmila de Souza Santos 1
Joaquim Pedro Ribeiro Vasconcelos 1
Emerson Fachin Martins 1,2
1. Faculdade de Ceilândia, Universidade de Brasília - UnB
2. Dr./ Orientador - Faculdade de Ceilândia, Universidade de Brasília - UnB
INTRODUÇÃO:
Com a criação da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) estabeleceu-se linguagem para se descrever saúde em situações relacionadas com a funcionalidade do ser humano e as suas restrições. Aliada a um mapeamento quantitativo da distribuição do contingente de sujeitos com hemiplegia e hemiparesia na Região Administrativa (RA) de Ceilândia no Distrito Federal, indicadores da saúde funcional e da qualidade de vida poderiam contribuir para se pensar políticas públicas em saúde. Objetivo: Identificar a densidade demográfica de sujeitos com hemiplegia ou hemiparesia na RA de Ceilândia estabelecendo indicadores de saúde funcional e qualidade de vida geo-referenciados.
METODOLOGIA:
Os pacientes com suspeita diagnóstica de Acidente Vascular Encefálico e/ou Hipertensão Arterial Sistêmica foram levantados no registro de admissão do Pronto Socorro do Hospital Regional de Ceilândia. Em seguida, foram separados os prontuários para checar se a suspeita diagnóstica foi confirmada. Os endereços e números de telefone de todos os pacientes com confirmação da suspeita diagnóstica foram utilizados para contato telefônico ou visita domiciliar, ocasião em que era confirmado se o endereço e/ou número de telefone estavam corretos e se a morbidade diagnosticada havia resultado em seqüela do tipo hemiplégica ou hemiparética. Por fim, a densidade demográfica, a distribuição de freqüência dos códigos da CIF, bem como o escore de qualidade de vida foram avaliado pelo SF-36 e geo-referenciados por sub-regiões da RA de Ceilândia.
RESULTADOS:
Foram amostrados 20 sujeitos residentes em Ceilândia, divididos de acordo com as localidades em que residiam geo-referenciadas em 3 regiões, sendo elas: Setor Inicial (QNM e QNN), Setor O (QNO) e Setor P (QNP e QCS). Os 13 sujeitos que residem no Setor Inicial de Ceilândia apresentaram razão de funcionalidade de 184,06 códigos de CIF para cada código da CID e razão de incapacidade de 57,63 códigos de CIF por códigos de CID. Também nesta região observou-se média no escore de qualidade de vida de 87,22±15,40. No Setor O os 3 sujeitos apresentaram razão de funcionalidade e incapacidade de 120,06 e 32,58, respectivamente, apresentando média no escore de qualidade de vida de 79,30±13,22. Os 4 sujeitos residentes do Setor P apresentaram razão de funcionalidade e incapacidade de 150,25 e 37,16, respectivamente, apresentando média no escore de qualidade de vida de 92,01±20,26.
CONCLUSÃO:
Os sujeitos residentes no Setor P apresentaram em média escores indicando qualidade de vida superior às observadas nas outras duas regiões. Além disso, no setor P foi onde observou-se a menor prevalência de sujeitos com hemiplegia ou hemiparesia.
Palavras-chave: Qualidade de vida;, Geo-referenciamento;, Doenças Cerebrovasculares.